sexta-feira, 5 de setembro de 2008

a morte e o acaso

e escolhi deixar de existir para que pudesse existir
por nove vezes senti o não-gosto suculento no pensamento
por nove vezes assisti minha humana inexistência fluir
e percebi que sacrificio pós sacrificio ainda me sentia vazio

(então morri.)

e renasci, um novo e resistente ser vazio
sucumbi aos pecados da boca...
me levantei, e fui surpreendido pelo acaso

(então explodi, e quebrei.)

perdi o controle e a razão
a noite escura d'alma chegou
então o desespero me tomou
mas antes do ar vir a faltar
antes mesmo do dia voltar
notei que ainda tocava o chão

e escolhi aguardar a sentir a luz
da sabedoria me arder nos olhos

2 comentários:

A Flor do Mal disse...

Pergunto o mesmo: Cadê os posts???
Escreva mais, é bonito e denso o que faz.

beijo**
Ah, vou te linkar

gabi disse...

caraca...