domingo, 29 de março de 2009

[parado, desorientado, estático]

"o louco vislumbrava o vôo da borboleta. distorcia e retorcia suas linhas com um puro toque de caos. mimetizava as suas cores mais cheirosas, a invadia na invisibilidade de um beijo e a preenchia como um trago adocicado. então, num silêncio em meio à (in)existência perfumada, a transubstanciou com um sorriso no olhar. semente. terra. vida. logo flores saltaram suas extremidades em busca do sol que estava só."

___

Traços e requadros embebidos de palavras nostálgicas:



6 comentários:

vanessa reis disse...

primeiro comentário para os quadrinhos:
lindo, Diego..você é talentoso com as palavras, com a construção de pensamentos por meio delas.

Comentário para o texto:
preciso de uma releitura

Briccio disse...

fantástico.. sensação gráfica.

Thalita disse...

Adoro esse segundo quadrinho, me passa uma angústia em estado bruto.
Na verdade acho que vejo isso em vários quadrinhos seus, uma angústia, uma sensação deslocada, com um olhar fixo e sentada num sofá.

Enfim, dei uma viajada.

Um beijo.

groovers disse...

caralho Idegooooo

vlw pelo toque meu irmão!!!

nOise disse...

Concordo com a Thalita,é a angustia de saber oq vira talvez,abolição de medos primarios com a possivel sanidade de razão....
Incrivel como o Idego escreve/desenha sentimentos e relatos diarios.
Muita coisa ai me deixa deprimido,quase me deixando em prantos.Essa é a excelancia de seu trabalho.Continue produzindo pelo amor de qlq coisa meu irmão!!!
muita força pra ti!!

tHIAGO gOMES disse...

nossacara, meuito legal suas tiras, são bem introspectivas e intimas!!
me indentifico, parabens!